domingo, 31 de março de 2013


Eu nunca tive disposta a estar com outro rapaz e muito menos a apegar-me, mas ele chegou e aconchegou o meu coração, no meio de tanta gente, eu encontrei-o, entre tanta gente chata, sem nenhuma graça, ele veio.. E eu que achava que pudia pôr um muro à minha volta para afastá-lo, para me proteger. E eu que achava que nunca mais iria sofrer deste mal, logo agora que depois de tantas decepções, alegrias, tristezas, aprendizagens, tinha conseguido estabilizar-me emocionalmente, ele apareceu para mudar completamente a minha vida, os meus costumes e principalmente os meus sentimentos. Há imenso tempo que eu já não chorava por não poder estar com alguém que eu queria muito, há imenso tempo que eu nao ficava tão feliz por receber uma mensagem, e aquelas borboletas? Voltaram a aparecer.. E custa falar disto, escrever e ainda para mais interiorizar, porque eu sinto que não posso, que não quero...

sexta-feira, 29 de março de 2013




Acontece que dentro deste espaço de tempo em que tive distante muitas coisas foram aparecendo, tais como tantas outras desapareceram. Aquele rapaz para quem eram dedicados todos e mais alguns textos que se possam encontrar aqui foi-se embora de vez, ele nunca soube o que quis e eu levei muito tempo para me aperceber que ele não era o certo e muito menos o melhor. E agora o meu coração anda numa confusão tremenda e não sei se sou eu que ando a criar estes sentimentos confusos ou se é mesmo o que se anda a passar. E o que fiz eu ao amor que sentia por ele? Será que ainda cá anda? Será que já foi embora? Ou eu apenas o amenizei e guardei numa caixinha bem ao fundo do meu coração? Dizem que o primeiro amor nunca se esquece, eu já nem sei bem o que ele foi, mas espero que algum dia possa lembrá-lo com um sorriso e não com esta indiferença e dor que ele me causou.